Queda de cabelo, calvície, danos causados por alisamentos e tinturas — você sabia que existe um profissional que estuda e analisa as condições dos nossos fios? Ele é especialista em tricologia e, dessa maneira, é a melhor pessoa para oferecer um diagnóstico certeiro quando o assunto envolve nossas madeixas.

Mas e os cabeleireiros? Bem, apesar de eles também terem bastante conhecimento e experiência sobre procedimentos e tratamentos, não têm as informações técnicas necessárias, o que acaba por limitar a investigação. As duas profissões podem ser úteis e complementares, mas é um tricologista que oferecerá uma solução com base na medicina.

Acompanhe a leitura, conheça mais sobre a área e entenda quando procurar esse especialista!

O que é tricologia?

A tricologia estuda tudo relacionado ao couro cabeludo, ao cabelo e aos pelos. O termo vem das palavras em grego thricos (cabelo) e logos (estudo). Apesar de não ser uma área muito famosa, as pesquisas começaram em 1902.

Sendo capaz de fazer análises profundas, a fim de encontrar soluções para algumas condições que alteram a estrutura e o aspecto dos fios, como caspa, quebra e queda, calvície, infecções, fungos etc., a especialidade tem bastante importância, não só por abordar assuntos estéticos, que envolvem a autoestima, mas, sobretudo, por ser um campo relacionado à saúde. Por exemplo, você sabia que existem cerca de 2.500 motivos que podem levar a problemas com perda dos fios?

Assim, não adianta tratar um distúrbio apenas superficialmente. É preciso entender o porquê de ele acontecer, para atacá-lo pela raiz.

Quais profissionais podem realizar o procedimento?

A tricologia é uma especialidade da dermatologia. Um dermatologista precisa ser formado em medicina. Assim, o tricologista é, na maioria das vezes, um médico também.

No entanto, existem cursos técnicos, com uma abordagem menos específica, que outros profissionais podem fazer, para acrescentar bagagem aos seus conhecimentos. Então, esteticistas e biomédicos, por exemplo, também podem se especializar.

Contudo, a formação em medicina é capaz de agregar mais informações científicas a respeito de diversas questões mais singulares da área da saúde que afetam os fios, como genética, doenças autoimunes e câncer.

Como está a tricologia no Brasil?

O Brasil sempre deu valor à área da estética. Com isso, o estudo sobre cabelos não é diferente. Ainda mais aqui no país, onde existe uma grande diversidade de tipos e estruturas de fios. As pesquisas estão cada vez mais avançadas, e os resultados, mais promissores. Por isso, temos cada vez mais profissionais gabaritados trabalhando tanto na parte clínica quanto em uma abordagem mais intervencionista, como as cirurgias.

Então, o paciente que precisar de cuidados com seus cabelos deve apenas se certificar de que o profissional tem a formação adequada para atendê-lo.

Quais condições a tricologia estuda?

Essa especialidade investiga tudo o que envolve nossos cabelos e pelos. Assim, existem dezenas de problemas e doenças. Alguns exemplos foram dispostos a seguir!

Queda dos fios

Pode estar ligada a procedimentos químicos, genética, deficiência de nutrientes ou, ainda, a problemas sérios de saúde, como doenças autoimunes. Assim, nem sempre essa condição é apenas estética.

Um tricologista que consegue um diagnóstico para um distúrbio sério, ainda na fase inicial, é capaz de dar à pessoa mais condições para que ela faça o tratamento específico e volte a ter qualidade de vida.

Quebra dos fios

Procedimentos químicos em exagero alteram as fibras capilares e podem causar diversos danos, como fios quebrados. Dependendo do estado das madeixas, é importante fazer uma análise mais apurada, a fim de saber em que parte exatamente da estrutura do fio está o dano. Isso fará com que o paciente possa fazer um tratamento mais direcionado.

Calvície

Também chamada de alopecia areata, a calvície masculina ou feminina causa muitos danos à autoestima. Ainda que, muitas vezes, ela ocorra devido à predisposição genética, podem existir outras condições. Disfunções da tireoide, síndrome dos ovários policísticos, anemia, micose, medicamentos e estresse excessivo são apenas algumas das causas.

Caspa

Também conhecida como dermatite seborreica, a caspa é uma descamação e irritação no couro cabeludo. Apesar de o conhecimento popular falar que ela ocorre devido à oleosidade das madeixas, existem outros motivos também, como estresse, disfunção hormonal, má alimentação e fungos. Portanto, nem sempre um shampoo anticaspa resolverá o problema.

Infecções no couro cabeludo

Existe um tipo de infecção causado pelo fungo tinea capitis. Ele causa manchas vermelhas com ardor e prurido no couro cabeludo, além de ser uma doença contagiosa e fazer com que os cabelos fiquem mais fracos. Ele pode ser confundido com outras condições, como a caspa, então, é necessário um diagnóstico mais preciso.

Psoríase

A psoríase é uma doença crônica que pode chegar a afetar o couro cabeludo. É uma lesão que forma placas avermelhadas com a superfície esbranquiçada. Uma das causas envolve os linfócitos T, conhecidos como células de defesa do organismo. A condição pode provocar sintomas semelhantes aos da caspa, produzindo coceiras e descamação da pele. A análise permite a intervenção adequada, a fim de que a doença não se espalhe.

Excesso de pelos

A tricologia também pode tratar do hirsutismo — excesso de pelos faciais e corporais em homens e mulheres. Geralmente, é decorrente de um desequilíbrio hormonal e, principalmente no público feminino, provoca desconfortos. O especialista pode ajudar nesses casos, oferecendo tratamentos de acordo com cada questão particular.

Outras

Os estudos de um tricologista são ilimitados. Tudo o que envolver alguma condição dos nossos cabelos e pelos pode contribuir para seus conhecimentos.

Quais os exames que um tricologista pode fazer?

A área dispõe de muitos tipos de exames que um profissional pode fazer para conseguir o diagnóstico dos seus pacientes. Alguns deles foram dispostos a seguir!

Anamnese

Esse costuma ser o procedimento inicial e nada mais é do que uma entrevista. É na consulta clínica que o especialista poderá coletar informações importantes para respaldar análises e saber quais outros exames solicitar. Assim, perguntas sobre doenças familiares, os procedimentos já realizados no cabelo, os cosméticos e medicamentos usados no momento, além de fatores que envolvam questões emocionais, são comuns.

Tricograma

O tricograma analisa microscopicamente o cabelo. O procedimento é feito com uma amostra de 50 a 100 fios de uma área do couro cabeludo. Ele faz uma estimativa das fases do ciclo para cada fio, ou seja, quantifica a porcentagem que está crescendo e em fase de queda.

Para realizá-lo, é necessário ficar cerca de 8 semanas sem aplicar químicas e passar chapinha, além de 3 ou 4 dias sem lavar os fios.

Tricocospia

Esse método é menos invasivo que o anterior, pois não é preciso arrancar os fios. É usado um equipamento chamado fotovideodermatoscópico, o qual tem uma câmera com zoom capaz de aumentar entre 20 e 70 vezes a visão do cabelo e do couro cabeludo. Algumas condições possíveis de diagnóstico são: lúpus, alopecia areata, inflamações e descamações.

Mineralografia

Ela investiga o desequilíbrio de minerais no organismo, pois a intoxicação por metais pesados também pode causar problemas capilares. Cerca de 30g a 50g de cabelo é retirado da nunca, pela raiz, e analisado em laboratório especial.

Biópsia do couro cabeludo

Nesse procedimento, é necessário retirar cerca de 4mm da pele do couro cabeludo, a fim de fazer um diagnóstico em laboratório para um laudo específico. Um médico patologista fará a observação das estruturas com um microscópio.

Trichoscan

Esse método, desenvolvido na Alemanha e reconhecido internacionalmente, é feito com a ajuda de um software. A partir de fotografias digitais retiradas do couro cabeludo, é feita uma análise da imagem juntamente à microscopia epiluminescência padrão (sistema ELM). Com ele, é possível ver a quantidade de fios nascendo e caindo, a espessura e a densidade. A medida contribui muito para a análise da calvície.

Quando procurar um profissional da tricologia?

Quando o assunto estiver relacionado a problemas e preocupações com o couro cabeludo, fios e pelos, é possível ir atrás de um tricologista. Isso pode envolver muitas condições, como:

  • coceira;
  • irritação;
  • ardor;
  • vermelhidão;
  • descamação;
  • caspa;
  • queda;
  • quebra;
  • calvície;
  • cabelos fracos;
  • excesso de pelos;
  • fungos;
  • infecções;
  • afinamento dos fios;
  • inflamação;
  • oleosidade excessiva;
  • diminuição do volume capilar;
  • espinhas no couro cabeludo;
  • demora no crescimento dos fios;
  • reação alérgica a cosméticos capilares.

Quais os tratamentos desenvolvidos por ele?

Nesse campo, o profissional dispõe de muitos tratamentos. A escolha por cada um dependerá do problema a ser atingido e das particularidades de cada paciente.

Via oral

Individual ou conjuntamente, o uso de medicamentos pode auxiliar a tratar alguma disfunção orgânica. Por exemplo, em caso de anemia, é possível que sejam receitadas vitaminas para completar a dieta. Algumas substâncias também podem auxiliar na prevenção e no tratamento da calvície.

Microagulhamento

É um método para queda dos fios, já que estimula o crescimento. Um equipamento, em formato de caneta elétrica, faz pequenos furos, de até 2mm no couro cabeludo. Isso resulta em uma vascularização na região, o que estimula a proliferação de mais fios capilares. Em geral, são feitas 5 sessões, 1 a cada mês.

Low laser therapy

É aplicado um laser, em baixa potência, o qual estimula os fios afetados pela calvície. Ele provoca o estímulo da ATP (fonte de energia das células), ajudando na multiplicação celular da raiz do cabelo. A técnica promete aumentar a velocidade do crescimento do cabelo e a espessura.

Carboxiterapia

É um método injetável de gás carbônico medicinal no couro cabeludo. É usado em pacientes com queda capilar, cujos fios em fase final de vida caem em grande quantidade. Também pode ser usado para calvície hereditária. Podem ser feitas entre 10 e 20 sessões, com duração entre 20 e 40 minutos cada. O tratamento é contraindicado se houver lesões no couro cabeludo.

Infusão transdérmica

Também chamado de drug delivery, é um tratamento por meio de uma microagulha, que age na derme do couro cabeludo, de modo que são injetados fármacos (hidrofílicos, lipofílicos e macromoléculas), de acordo com a necessidade do paciente.

Desobstrução folicular

Quando o couro cabeludo produz muito sebo, o folículo piloso pode ficar obstruído, podendo resultar em irritações, infecções, cabelos muito oleosos, caspa ou queda capilar. Para resolver isso, uma limpeza profunda é essencial. Algumas terapias alternativas colaboram para a oxigenação do couro cabeludo e para a promoção de mais saúde às madeixas.

Fotobiomodulação

É um tratamento baseado na interação da luz com os tecidos, o qual estimula o metabolismo celular, incentivando a ocorrência de processos fotofísicos, fotoquímicos e fotobiológicos. Ele acelera o crescimento dos fios, além de fortalecê-los.

Quais as principais dicas sobre cabelos?

Bem, você já percebeu o quanto esse assunto pode ser sério, envolvendo nossa saúde, não é? Então, aqui vão algumas dicas para você colocar em prática e evitar certas disfunções.

Não passe muito tempo sem lavar os fios

Quando as mulheres se assustam com a quantidade de cabelo caindo no box do banho, podem tentar espaçar mais as lavagens, a fim de evitar que novas madeixas fiquem no chão. Isso pode prejudicar ainda mais a condição, pois a oleosidade em excesso tende a provocar dermatite seborreica, fazendo com que o cabelo caia mais.

Evite muitas químicas

Cabelos coloridos são lindos, mas tinturas e alisamentos em excesso fazem com que os fios fiquem mais fracos, percam a elasticidade e quebrem-se facilmente. O ideal é não fazer muitos procedimentos desse tipo em um período curto, para que as madeixas descansem um pouco. Aprenda a gostar da beleza natural também.

Não tome remédios sem consultar um médico

Existem, no mercado, muitos medicamentos com a promessa de fortalecer as madeixas, torná-las volumosas e fazer com que cresçam mais rápido. É importante que você não faça uso de algo sem consultar um especialista e verificar se realmente cabe para você. Às vezes, vitaminas para o cabelo são essenciais, mas, em excesso, podem provocar distúrbios no organismo.

Use uma escova adequada aos seus fios

Cabelos crespos e cacheados pedem pentes de dentes largos. Cabelos com textura fina precisam de um pente mais delicado. As escovas de cabelo não são iguais e, portanto, não servem para qualquer tipo de fio. É necessário que você tenha uma que seja apropriada às suas madeixas.

Como escolher um profissional?

A sugestão é sempre se consultar em clínicas que sejam confiáveis, a fim de evitar dores de cabeça mais tarde com profissionais que não estejam gabaritados a fazer os tratamentos. Aliás, quanto mais invasiva a intervenção for, mais atenção o paciente deve ter com a capacidade do tricologista. Em geral, os dermatologistas, por terem formação em medicina, têm bastante know-how para lidar com questões mais técnicas e, se for o caso, indicar a pessoa a outro especialista da área médica.

A tricologia, então, tem muito a contribuir para o bem-estar dos indivíduos, recuperando a autoestima, a satisfação e a saúde. É importante ter cuidado na hora de escolher um especialista que ajudará você com uma questão tão delicada.

Gostou do artigo? Assine nossa newsletter e não perca nenhuma dica para manter seus cabelos sempre lindos!