cuidado com pintas no couro cabeludo

Entenda a importância de se ter cuidado com pintas no couro cabeludo

As pintas são tão comuns ao longo da vida, que, muitas vezes, nem damos atenção a elas. Às vezes, elas podem surgir inesperadamente. Porém, por mais pintas que você tenha, é preciso ter atenção a alguns desses sinais. Afinal, eles podem indicar doenças sérias, como o câncer de pele. Assim, é preciso, inclusive, ter cuidado com pintas no couro cabeludo. Isso porque, nessa região, elas podem ficar escondidas pelo cabelo.

No artigo a seguir, veja o que são e como surgem as pintas. Saiba também por que ter cuidado, quando elas surgem no couro cabeludo e como identificar se são um problema. Boa leitura!

O que são pintas e como elas surgem? 

Geralmente castanhas ou pretas, as pintas são um aglomerado de melanócitos — as células do corpo que produzem melanina, pigmento que dá nossa cor de pele. Elas podem surgir desde a infância até a idade adulta, em qualquer parte do corpo. Além disso, é normal que algumas cresçam e até tenham pelos. 

No entanto, conforme crescemos e ficamos expostos à radiação solar, as pintas podem se tornar mais graves e se transformar em um câncer de pele. Aliás, pessoas de pele clara, cujo fototipo seja I ou II, estão mais sujeitas a essa condição, como ruivos e albinos.

Por que ter cuidado com pintas no couro cabeludo? 

É preciso ter cautela com esses sinais por todo o corpo. Contudo, o cuidado com pintas no couro cabeludo também é essencial. Por ser uma região bastante exposta ao sol e escondida pelo cabelo, você precisa sempre fazer uma avaliação. Afinal, essa é a área onde podem surgir os tumores do tipo não melanoma — que são tipos de câncer mais comuns e com baixa letalidade. 

Dessa forma, caso você descubra alguma pinta no couro cabeludo, vale observar as suas características, seguindo o método ABCDE:

  • assimetria: com formato simétrico, a pinta pode ser um sinal benigno. Porém, se for observada uma forma diferente, pode ser caracterizada como maligno;
  • bordas: para ser benigna, a pinta deve ter bordas regulares. Ou seja, ser perfeitamente redonda. No caso das malignas, essas bordas são irregulares e podem se estender em diferentes direções;
  • cores: as cores das pintas benignas são únicas. Já em caso maligno, elas apresentam mais tonalidades no mesmo sinal;
  • diâmetro: o tamanho de uma pinta deve ser menor que 6mm — medida da largura de um lápis. Maior do que isso, pode ser considerada maligna;
  • evolução: se a pinta no couro cabeludo surge de repente e muda qualquer uma das suas características rapidamente, é mais um sinal de grande atenção. 

É claro que essas características isoladas podem não significar um caso de câncer de pele. Por isso, fazer a avaliação ABCDE por conta própria não é suficiente. Em caso de pessoas com muitas pintas, ou em caso de surgimento de uma pinta incomum, é sempre indicado procurar um profissional dermatologista para o diagnóstico certo. 

Como saber se uma pinta no couro cabeludo é um problema? 

No caso do cuidado com pintas no couro cabeludo, é preciso prestar atenção a outros fatores. A região é bastante exposta ao sol, mas o uso de alguns produtos e processos químicos também pode fazer com que surjam sinais inesperados. Nesse caso, seriam resultados de lesões causadas na área. 

Coloração 

A coloração é um dos procedimentos estéticos mais realizados. Contudo, em sua composição existem substâncias que podem causar alergia em algumas pessoas. Então, precisamos ficar atentos e deixar de usar o produto caso alguma reação se manifeste. Não podemos ignorar a prova de toque indicada pelo fabricante, pois uma pessoa alérgica pode ter problemas muito sérios.

Por isso, além de produtos de qualidade, é fundamental saber aplicar a coloração e testá-la antes de aplicar no couro cabeludo. Nesse caso, o mesmo vale para quem vai descolorir o cabelo.

Escova progressiva 

A escova progressiva também é um procedimento bastante alergênico. Com o objetivo de alisar o cabelo, o produto utilizado faz uma transformação no fio, mudando sua estrutura. Sua composição pode agredir o couro cabeludo, por isso, é importante seguir as orientações do fabricante quanto ao distanciamento para a aplicação do produto, evitando a agressão no couro. Outro ponto importante é manter um intervalo maior entre uma progressiva e outra, garantindo a saúde do couro e dos fios.

Dessa forma, além de cuidar bastante dos fios depois de cada química, é preciso averiguar se a progressiva não está prejudicando o couro cabeludo. Se sim, talvez seja necessário que você suspenda o procedimento e procure uma alternativa. 

Dia a dia 

Shampoos, condicionadores, máscaras e outros produtos do dia a dia também precisam de atenção na hora da compra. Além da qualidade, você precisa observar se, durante o uso, não há nenhuma reação.

Isso pode ser menos frequente, mas existem pessoas altamente alérgicas. Além disso, é preciso lembrar que, por mais básicos que sejam, eles também contêm componentes alergênicos. Dessa forma, se, ao lavar o cabelo, a cabeça começar a arder ou coçar, a dica é suspender o produto e procurar um especialista para identificar possíveis alergias. 

Como se cuidar?

Independentemente do procedimento feito, o cuidado para não gerar lesões deve ser tomado. Afinal, o fato de lesionar uma região também pode desenvolver problemas mais sérios. Nesse sentido, além do tratamento de possíveis lesões, mesmo as comuns, vale a pena seguir alguns cuidados:

  • se você for loira ou ruiva, sempre use boné, chapéu ou outro acessório quando sair ao sol;
  • na piscina ou na praia, use protetor solar para os fios, pois, automaticamente, eles protegem dos danos UV e também dão mais proteção ao couro cabeludo;
  • faça qualquer procedimento químico complexo com um especialista;
  • se fizer qualquer química em casa, é importante dominar todos os processos e saber manipular os produtos;
  • sempre faça testes antes de usar qualquer produto;
  • não se exponha ao sol nos horários mais fortes;
  • não use soluções caseiras no couro cabeludo, pois podem gerar lesões, conforme os componentes.

O câncer de pele é um dos tipos mais comuns, geralmente surgido a partir de pintas, que podem ser benignas; mas também existem os tipos malignos, como os melanomas. Por isso, ter cuidado com pintas no couro cabeludo e em outras partes do corpo é essencial para manter a saúde. Diante de qualquer suspeita, é importante procurar um médico especializado para diagnosticar qualquer problema e definir um tratamento. 

Gostou do post? Assine a nossa newsletter e receba conteúdos fundamentais para a sua saúde!

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.